Melhor aplicativo para controlar séries

Melhor aplicativo para controlar séries

Fiz um post ano passado mostrando todos os aplicativos que utilizo no meu dia-a-dia, o vídeo foi bem recebido pelo Youtube e tem dado bons frutos. Nesse vídeo vamos apresentar o que considero o melhor aplicativo para controlar séries.

Esse ano iria fazer um update dos aplicativos novos que entraram e alguns que removi, porém resolvi mudar e falar sobre alguns aplicativos chaves para o meu fluxo de trabalho e produtividade.

Todo mundo curte assistir um seriado e é imprescindível ter um aplicativo para controlar esses seriados, vou falar do que precisa-se observar ao adquirir um aplicativo para esse tipo e também mostrar o aplicativo que eu utilizo.

Para chegar nesse aplicativo de series, testei cerca de 8 a 10 aplicativos do gênero, alguns chegaram próximos a esse outros ficaram bem distantes, então quando falo que esse é o melhor, falo com a propriedade do cara que testou os principais apps do mercado para essa função.

Para comprar o aplicativo utilize esse link par ajudar o blog a receber uns trocados de bala

iPhone

Melhor aplicativo para controlar séries

Minhas séries atuais

Abaixo vou listar minha lista de séries que estou acompanhando e vou dizer se é boa ou ruim

  • The Last Kingdom – Média
  • How to get away with murder – Boa
  • The Mist – Média
  • The Big Bang Theory – Excelente
  • South Park – Boa
  • One Piece (anime) – Excelente
  • Fear the Walking Dead – Média
  • Black Sails – Média
  • The last ship – Média
  • Suits – Boa
  • Boruto (anime) – Boa
  • The Walking Dead – Excelente
  • Stranger Things – Excelente
  • Vikings – Excelente
  • Black Mirror – Boa
  • Homeland – Excelente
  • Narcos – Excelente
  • Games of Thrones – Excelente
  • Better call Saul – Excelente
  • Fargo – Excelente
  • House of Cards – Excelente
  • Marte – Médio
  • Demolidor – Médio
  • Westworld – Boa

Quando digo que uma série é excelente é porque eu gostei de todas as temporadas, quando coloco que é boa é porque teve algumas temporadas que não me agradaram, quando falo que é Média significa que atualmente a séria não me agradou muito em nenhuma temporada, mas espero que ela melhore.

As series ruins nem coloquei aí porque tem um monte e eu não acompanho série ruim.

Se você estava em busca de uma séria para assistir acho que essa lista acima pode lhe ajudar a encontrar. E por favor desligue essa televisão, seja aberta ou fechada, são poucos programas que realmente salvam na TV, pare de assistir e vá curtir um seriado.

Enquanto isso…

Globo lixo

Gostou do blog? Então se inscreva no campo abaixo para receber as atualizações via e-mail e curta nossa pagina no Facebook.

Como dobrei meus dividendos em 3 anos

Como dobrei meus dividendos em 3 anos

O objetivo de todo investidor de Dividendos é gerar um fluxo de rendimentos passivos suficientes para cobrir suas despesas. Para atingir esse objetivo os investidores precisam selecionar uma estratégia e segui-la por um longo prazo. Na maioria dos meus artigos aqui do blog tenho concentrado esforços em mostrar investimentos de dividendos que possam gerar um fluxo de receita durante varias décadas. Agora nesse artigo vou explicar uma técnica para dobrar o seu fluxo de dividendos a cada 10 anos.

A primeira diretriz é contribuir regularmente para a sua carteira de dividendos. Isto é importante, porque permite que o nosso investidor ao longo do caminho tenha um custo médio e não sofra com o mercado bear ou bull. Isso proporciona-lhe construir a sua carteira tijolo por tijolo, sem comprar tudo num montante de uma vez só. Já falei aqui da importância dos aportes e como eles podem fazer com que sua independência financeira possa ser encurtada.

A segunda orientação é se concentrar em ações de crescimento de dividendos. Que são empresas que aumentam os dividendos regularmente. Se fizer isso, é provável que consiga a independência financeira dentro de algumas décadas. Você precisa de investir em ações de empresas que aumentem seus dividendos, pois assim você poderá ter uma fonte geradora de renda ao longo do tempo e não precisará de diminuir o seu principal.

visa dividendos

A terceira diretriz é comprar ações de dividendos de qualidade. Também poderia aqui colocar a economia que deve ser feita nas corretagens e remessas. Por isso falei com vocês do plano ilimitado da DriveWealth onde é possível comprar ações por 1 centavo e também a Remessa Online que tem um custo imbatível para remeter dinheiro ao exterior.

Vocês devem desenvolver um conjunto de critérios padrão para a a seleção das empresas, divulgo os meus parâmetros para que vocês possam ter uma noção. Temos aqui a nossa revista na qual falamos sobre empresas fantásticas para você investir, também temos a Express na PenseRico que é onde montamos uma carteira de ações para você investidor brasileiro e em breve terá também informações sobre o mercado americano.

Além dos critérios já citados no post linkado acima, tenho utilizado o critério de só selecionar empresas com um X% de crescimento nos dividendos dos últimos 10 anos.

Muitos investidores ficam tão preocupados em um retorno imediato que acabam se esquecendo que o mais importante não é o hoje mas o amanhã, e que em ações os maiores retornos só veem no longo prazo. O investidor não entende que quanto maior o Dividend Yield da empresa, maiores são as chances de que ela não consiga crescer os dividendos, e pior de que ela venha a cortar os dividendos.

Isso porque em grande parte o mercado acaba reduzindo os preços das ações porque ele acredita que aquele dividendo não é sustentável no longo prazo. Se o investidor quer colocar lá na sua lista de empresas uma ou três com esse parâmetro é até aceitável. O que não pode é ter na carteira uns 70% só de empresas problemáticas.

Por isso na hora de escolher empresas recomendo 8% de crescimento de dividendos ao ano.

Porque 8% ?

Falo para você colocar 8% porque em 10 anos você terá seus dividendos dobrados.

Que maravilha seria se sua renda fosse dobrada a cada 10 anos de forma automática. Isso é uma baita proteção contra a inflação, porque sabemos que ao se aposentar você provavelmente precisará de bem mais dinheiro do que atualmente pois os governos sempre irão nos ferrar com as malditas inflações.

dpa

Tudo bem que se você quando for se aposentar e estiver com o PT no poder precisará de bem mais que 8% para superar a inflação, na verdade se o PT ainda estiver no poder você não irá mais se aposentar rsrsrsrs.

Coloquei aqui os 8% por ser mais bonito e redondo de falar 10 anos, mas particularmente eu tento colocar na minha carteira empresas que tenham crescido os dividendos a pelo menos 6,5% ao ano nos últimos 10 anos. Isso me dá uma dobra de dividendos a cada 12 anos. Reduzindo um pouco o percentual, abre-se muito mais empresas para entrar na carteira e ainda mantenho uma boa taxa de dobra dos dividendos.

Você pode encontrar empresas com taxas de crescimento de dois dígitos, ou seja empresas que cresceram os dividendos mais de 10% o que lhe fará dobrar os dividendos muito mais rápido e será um baita boost na sua corrida rumo a independência financeira.

O monstro Visa

A Visa foi a primeira empresa que tive os dividendos dobrados, é uma sensação extraordinária você ver o dinheiro criando mais dinheiro para você. Quando comprei a Visa pela primeira vez foi em 2013, confesso que não esperava que tão cedo ela iria dobrar os dividendos, mas a empresa conseguiu superar as minhas melhores expectativas. Os dividendos foram dobrados no final de 2016 ocorre que não me atentei a isso, por isso estou fazendo o post só agora.

Histórico dividendos da Visa
Data Pgto Valor dividendo
09/2013 0,083
12/2013 0,100
03/2014 0,100
06/2014 0,100
09/2014 0,100
12/2014 0,120
03/2015 0,120
06/2015 0,120
09/2015 0,120
12/2015 0,140
03/2016 0,140
06/2016 0,140
09/2016 0,140
12/2016 0,165
03/2017 0,165
06/2017 0,165
09/2017 0,165

Como podem observar acima o monstro vai dobrar os dividendos nesse dezembro novamente.

Nos últimos 3 anos a Visa cresceu em quase 20% seus dividendos e nos últimos 5 anos a visa subiu quase 30% os dividendos, um verdadeiro monstro saindo da jaula. Meu único arrependimento nesse tempo é não ter vendido até minhas cuecas para comprar mais Visa.

Tenho outras empresas na carteira que logo, logo me darão essa mesma alegria. Inclusive falei de uma empresa nesses mesmos padrões da Visa nessa última edição da revista Viver de Dividendos, a empresa tem crescimentos tão, senão maiores que a Visa. Confira aqui.

Ao selecionar empresas fantásticas na sua carteira você pode ter seus dividendos dobrados em tão pouco tempo. Quando coloquei a Visa minha intenção com ela era dobrar em 5 anos, mas a garota me dobrou em 3 anos. Tem noção do que é isso TRÊS ANOS e seu rendimento é dobrado.

Mano tem gente que ainda vem falar: Nossa VdD porque você não investe em RF. Olha VdD você tem X investido te dá um rendimento de Y porque você não coloca seu dinheiro no TD.

Esses caras nunca vão entender o poder do crescimento das ações de dividendos, como pode uma renda dobrar em 3 fucken anos. Tem noção disso ? Se eu parar de aportar agora e a Visa manter essa taxa de crescimento, minha renda será dobrada a cada 3 anos. Nada no mundo irá oferecer um retorno destes, com o nível de confiança que o mercado de ações tem. Nem no melhor emprego que você já teve, o patrão vai dobrar seu salario a cada três anos. Eu fico muito empolgado!!!!

Ver seus dividendos dobrarem sozinhos é a maior satisfação para um investidor de dividendos, é como um pai vendo seu filho(a) se formando na universidade.

Estou preparando uma seleção de ações que vamos publicar na Express da PenseRico, são só ações nesse padrão Visa, são empresas que não constam na minha carteira, até porque tem muita empresa na minha carteira que não é desse padrão Visa de qualidade. Então continue acompanhando-nos que vamos trazer novidades muito legais em breve.

Porque a maioria dos investidores falham na bolsa

Porque a maioria dos investidores falham na bolsa

Fui um dos primeiros investidores a falar publicamente sobre a bolsa americana, expliquei como abrir conta numa corretora e comprar grandes empresas.

Não só expliquei os procedimentos aos leitores, como desde então tenho feito um incansável trabalho de ajudar aqueles que como eu estão em busca da independência financeira.

A bolsa americana está hoje no seu topo histórico, pessoas estão tendo retornos excelentes ao investir na bolsa americana.

 

Com os resultados apresentados pela Apple nesse inicio de agosto o índice Dow Jones ultrapassou a barreira dos 22.000 pela primeira vez na sua história. Para os investidores é só alegria, mas quem já está há algum tempo na bolsa americana pode acompanhar como alguns investidores não conseguiram chegar até aqui.

Muitos investidores acreditam que quando descobrem uma boa empresa de dividendos, eles podem comprá-la, relaxar e recolher os dividendos por toda a eternidade. Infelizmente mesmo que tenha escolhido uma ação de dividendos perfeita, você ainda pode perder dinheiro. Isso porque identificar e selecionar uma boa ação, com perspectivas incríveis e valorização atraente é apenas parte da fórmula para o sucesso nos investimentos. A próxima parte são as armadilhas psicológicas que podem levá-lo a cometer erros.

A primeira razão porque os investidores perdem dinheiro é porque focam nas cotações como fonte de valor na hora de avaliar uma ação, ao invés de olhar para os fundamentos para determinar se a ação tem muito valor. Isso poderia levar muitos a cometerem erros como vender durante uma bolsa em Bear para evitar mais perdas.

Por exemplo, se o preço das ações cai significativamente, mas os fundamentos vão bem, investidores podem vender em pânico e perder dinheiro. A Coca-Cola Company (KO) foi cotada a $30,68 no final de 2007, pagou $0,76 de dividendos e o lucro por ação foi de $1,29 naquele ano. Até o final de 2008, no entanto, neste caso as ações poderiam ser adquiridas por $22,63. Ocorre que os fundamentos ainda continuaram a crescer, mas os investidores entraram em pânico e venderam as ações. Esses investidores perderam os próximos 9 anos e o potencial de crescimento dos lucros e dividendos para as próximas décadas.

A segunda razão porque os investidores perdem dinheiro é porque eles ficam emocionalmente ligados as ações, eles entram no ativo mas não tem um plano de saída bem definido, que é o que irá protegê-los. Um exemplo são empresas que cortam os dividendos, mas mesmo assim investidores continuam posicionados esperando que o crescimento retorne.

Olhe para os investidores que devem estar até hoje esperando que Eastman Kodak (EK) e Citigroup (C) façam uma reviravolta depois que essas empresas cortaram dividendos. Estão lá esperando uma reviravolta, que claro, nunca aconteceu.

 

No caso da Coca-Cola se eles tivessem cortado dividendos em 2008, teria vendido sem sequer pensar nisso. Se a empresa voltar a crescer os dividendos novamente após 5 anos, aí consideraria comprá-la novamente, desde que respeitasse meus critérios de entrada.

A terceira razão porque investidores nunca tem sucesso, é porque compraram empresas que estão tendo bons retornos, mas não fazer absolutamente nada é muito difícil. Alguns investidores são psicologicamente preparados para comprar ações de empresas que terão grandes retornos nos próximos 10/20/30 anos. Eles seguram as ações na carteira com centenas, ou até mais de mil por cento de rentabilidade.

Geralmente escuta-se algo como “Vou realizar lucro”. Se um investidor acertar em 20% das escolhas de sua carteira, os outros 80% vão lateralizar, falhar ou terá um pequeno retorno, ainda existe as chances de que alguns desses outros 80% piores retornos tendem a ir a zero.

Consistentemente, no curto prazo retirar as ações de dividendos bem sucedidas pode ser o fator decisivo que poderia fazer uma boa carteira de ações perder dinheiro no longo prazo.

Para simplificar esse ponto, imagine que no último dia de 1984 tivesse $100.000 para investir. Você comprou dez ações – Enron, Worldcom, Eastman Kodak, General Motors, Wal-Mart Stores, Pan American World Airlines, Trans World Airlines, Bethlehem Steel, Kmart e Circuit City.

Você colocou $10.000 em cada uma e deixou os dividendos serem reinvestidos automaticamente. Imagine que em 2017 somente uma das empresas que comprou ainda esteja aqui – Wal-Mart Stores (WMT).

Você teria também recebido ações da Eastman Chemicals (EMN) através do spin-off da Eastman Kodak. O investimento de $10.000 em Kodak poderia ter traduzido em 139 ações no final de 1984. Com reinvestimento de dividendos, você teria 544 ações da Kodak que valeriam $33.600 no final de 1993. No final de 1993 você teria direito a 136 ações da Eastman Chemicals.

Vamos supor que resto por ter ido a falência não entram na conta, se bem que algumas aí realmente faliram, mas vamos nos atentar apenas ao Wal-Mart. O valor do portfólio seria hoje aproximadamente $6.781.512 (seis milhões e setecentos mil dólares) isso equivale a um retorno anual de 15% por ano. Se nosso investidor tivesse no passado exercido lucro, e vendido Wal-Mart cedo demais, seus ganhos estariam devastados.

 

Na realidade, claro que as chances de alguém ter uma carteira tão desastrosa a ponto de escolher 9 empresas que falharam é muito remota, mas a ideia aqui é ilustrar que você deve deixar suas melhores ações fazerem o bolo crescer, mesmo que você falhe miseravelmente nas outras 9 escolhas ainda poderá ter um retorno excelente se apenas uma dessas se sair bem.

Só complementando o nosso segundo ponto que seria ter uma estratégia de saída, e não ficar preso emocionalmente numa ação. Imagina que ele retirasse as empresas quando a mesma corta-se dividendos, na lista acima só a Worldcom não pagou dividendos e quatro delas pagaram dividendos flutuantes (General Motors, Bethlehem Steel, Pan Am e a TWA) os retornos da carteira seriam ainda maiores.

A quarta razão porque os investidores falham é porque eles concentram suas carteiras em poucas empresas, geralmente o pessoal escolhe de 10 a 15 ativos no máximo. Além disso, muitos investidores colocam em risco sua carteira com uma superexposição em alguns setores.

Superexposição no setor de finanças em 2007 a 2009 teria arrasado com a carteira de qualquer investidor. Exposição excessiva a altos rendimentos como alguns REITs ou empresas de utilidades como Energia, Água e Gás também podem ser desastroso para os rendimentos dos dividendos no longo prazo.

Muitos investidores que seguem uma abordagem concentrada tendem a ficar obcecado em “bater o mercado” ou perseguindo rendimentos, que colocam sua carteira em enorme risco. Em vez disso um portfólio mais diversificado e equilibrado consistindo de pelo menos 30 ativos representativos de diversos setores, irá fornecer um fluxo de renda de dividendo mais confiável e com maior margem de segurança.

A quinta razão por que os investidores falham é porque a maioria deles buscam overtrade. Eles compram uma ação, em seguida, vendem-na e tentam encontrar um investimento melhor. O que chamamos aqui no Brasil de girar patrimônio.

Essas estratégias sempre geram lucros, mas para as corretoras e para os governos, e acaba que os investidores quando tem sorte terminam com o mesmo tanto que começaram, mas geralmente tendem a terminar com menos do que quando começaram.

Por último mas não menos importante, alguns investidores não pesquisam sobre as empresas, e compram qualquer ativo na esperança de acertar. Quando você não sabe porque comprou um ativo você terá grandes chances de entrar em pânico se os ativos começam a cair a cotação, e por conta da insegurança acabam vendendo até mesmo por um valor abaixo do que foi comprado.

Por isso aqui fazemos um trabalho, acima de tudo de educação com os investidores, não queremos aqui entregar apenas o peixe, mostramos a você como pescar e porque escolher determinadas ações.

Muita gente adora seguir gurus, você pode se espelhar neles, mas não tente segui-los, procure entender primeiro o porque deles entrarem ou saírem de determinada ação. É muito comum ver investidores vendendo ou comprando ações, simplesmente porque Warren Buffett está comprando ou vendendo.

No entanto, por melhor que o Warren seja ele também comete erros. Por exemplo em 1998 ele vendeu sua posição da Berkshire no McDonalds (MCD). Durante os próximos 15 anos, a ação aumentou triplicaram seu valor. Além disso, em 1967, Buffett vendeu sua posição de parceria que tinha com a Walt-Disney (DIS) obtendo um lucro de 50%. A posição valia $4 milhões que tinham sido adquiridas em 1966. Se ele não tivesse vendido a Disney e reinvestido os dividendos, teria hoje uma posição de mais de $3,5 bilhões.

Conclusão

Nesse artigo tentei esboçar alguns comportamentos que geraram perdas que encontrei ao longo da minha jornada rumo a independência financeira. Alguns destes comportamentos eu também cometi e aprendi com meus próprios erros. O mais importante é bola para frente, não se culpe pelos erros do passado, mas procure aprender com eles continuamente e se adapte pois isso tudo só servirá para lhe dar mais sabedoria e experiencia.

 

MIGRADO DO ANTIGO BLOG DA PENSERICO

Interpretando os Principais Indicadores Fundamentalista – Segunda Parte

Interpretando os Principais Indicadores Fundamentalista – Segunda Parte

No artigo anterior, falamos sobre os principais indicadores para uma analise fundamentalista. Neste, irei expandir o assunto, mostrando novos indicadores fundamentalistas, bem como mostrarei de que forma identificar empresas em situação financeira complicada, sejam micos (empresas com grandes dificuldades financeiras e com risco de insolvência) ou empresas turnaround (empresa com dificuldades financeiras hoje, mas com potencial de melhora no futuro).

Qual a importância de se identificar empresas que apresentam dificuldades financeiras?

Empresas que se enquadram neste perfil, geralmente possuem alta volatilidade, além de apresentarem riscos maiores ao investidor. Isto porque grande parte da movimentação na cotação ocorre por conta de especulação com o papel. Não tenho nada contra micos ou empresas turnarounds, porém, no meu perfil de risco, prefiro ficar longe destes investimentos altamente especulativos. O investidor que estiver disposto a correr um risco maior visando uma pequena chance de ganho elevado, em um curto espaço de tempo, pode separar uma parte pequena de seu capital para aplicar nestes ativos. Mas, vale lembrar que os riscos são maiores e o investidor pode perder boa parte do capital investido nestes ativos. Não recomendo a ninguém aplicar mais de 10% do seu capital em empresas deste tipo, valendo, de logo, ressaltar que mico e LP (longo prazo) são duas palavras que não combinam.

 

Para quem opera com base em analise técnica, também é prudente ficar fora destas empresas, visto que a movimentação da cotação não costuma respeitar muito os padrões gráficos. Com as informações abaixo, o investidor será capaz de identificar empresas com maior cunho especulativo e fazer um melhor gerenciamento do seu risco. Irei explicar abaixo os principais indicadores isoladamente, e depois como usá-los em conjunto para a avaliação.

Liquidez corrente menor do que 1: Liquidez corrente é calculada dividindo o ativo circulante pelo passivo circulante. Este indicador mostra a capacidade de pagamento das obrigações de curto prazo da empresa. Por exemplo, uma empresa com liquidez corrente igual a 3, significa que para cada 1 real que a empresa terá que pagar no curto prazo, ela possui em caixa 3 reais. Já um valor como 0,5 significa que para cada 1 real que a empresa terá que pagar em obrigações de curto prazo, ela possui 0,5 reais em caixa, ou seja, saldo insuficiente. Alguns setores permitem que a liquidez corrente esteja abaixo de 1, e a empresa continue com caixa saudável. Isto ocorre em empresas com fluxo de caixa mais previsíveis, como elétricas por exemplo.

Dívida bruta / Patrimônio maior do que 2: A dívida bruta é calculada somando as dívidas da empresa com as debêntures emitidas (ou seja, todas as obrigações financeiras), tanto de curto quanto de longo prazo. Depois é só dividir este valor pelo patrimônio líquido da empresa. Este indicador mostra o quanto o endividamento da empresa está alavancado sobre o patrimônio da empresa. Um indicador igual a 3 por exemplo, significa que a empresa possui um endividamento 3x superior ao patrimônio da empresa. Mas atenção: Este parâmetro não serve para empresas do setor bancário, onde este número pode ser bem superior.

Margem liquida negativa: Este é simples, se a margem líquida anual da empresa estiver negativa, significa prejuízo no resultado. Margem liquida nada mais é que o lucro ou prejuízo líquido dividido pela receita liquida. Porém, existem algumas empresas que abrem mão do lucro no curto prazo, para aumentarem seus investimentos, visando a um retorno maior no futuro. Por isso, é preciso cuidado ao se investir em empresas que estão apresentando prejuízos nos resultados. Embora isto não signifique que a empresa esteja diante de dificuldades financeiras, se for investir nesta é preciso estudar a fundo e analisar o porque deste prejuízo, e se tem perspectivas de melhora no curto prazo.

Se uma empresa se enquadrar em dois destes três indicadores, pode ter certeza de que ela este enfrentando dificuldades financeiras, sendo, portanto, um ativo de maior risco.

A ideia neste artigo não é analisar qual o grau de risco do ativo, ou se é somente uma dificuldade de curto prazo, tampouco qual seria o perfil da dívida, mas sim se o ativo se enquadra no quesito de ativo de alto risco, com base em parâmetros financeiros pré-definidos. Isso é extremamente útil para o investidor saber onde esta pisando, ou, então, manter a devida distância.

Patrimônio líquido negativo: Este é o mais simples de todos. Se o patrimônio líquido da empresa estiver negativo, é sinal de que ela enfrenta sérias dificuldades financeiras. O patrimônio líquido indica quanto os sócios tem de valor na empresa. Este valor negativo por si só já identifica um mico.

Vamos agora aos exemplos práticos com base nos resultados dos últimos 12 meses, reportado pelas empresas:

  • HAGA4 – Primeira coisa a olhar é se o patrimônio líquido esta negativo, neste caso sim, em – 83 milhões. Resultado: mico!
  • PMAM3 – Patrimônio líquido positivo. Vamos aos outros indicadores:
  • Liquidez corrente: 0,9 – Ruim;
  • Dívida bruta / Patrimônio: 2,9 – Ruim;
  • Margem líquida: +1,2% – OK, mas muito baixa;
  • Como temos dois indicadores dentro dos parâmetros de classificação, podemos dizer que a empresa esta enfrentando dificuldades financeiras, e com isso é um ativo de alto risco!

Outro fator que os investidores sempre tem que ficar atentos é no prazo de divulgação dos balanços. É comum micos atrasarem a entrega dos balanços, e muitos ficam diversos trimestres sem fazer divulgações destes. O problema disso é que a CVM, órgão fiscalizador, pode efetuar um bloqueio na negociação do ativo, por tempo indeterminado, até que a empresa regularize esta situação. Isto ocorreu, por exemplo, com os acionistas de AGEN11 há alguns anos atrás, que ficaram quase um ano presos ao ativo, sem poder negociá-lo.

MICO NA BOLSA

 

Um caso especial são as empresas pré-operacionais, como as empresas do grupo X, por exemplo. Elas não se encaixam nestes parâmetros acima, porém vale ressaltar que são igualmente investimentos de alto risco como as empresas em situação de dificuldades financeiras, pelo alto cunho especulativo devido à grande incerteza na geração de caixa no futuro.

Estes indicadores também servem como parâmetros de atratividade (adicionado na análise com os indicadores mostrados no artigo anterior) . Ou seja, empresas com alta liquidez corrente, baixa dívida bruta / patrimônio, e boa margem liquida, possuem uma situação financeira mais tranquila.

No próximo artigo abordaremos algumas estratégias envolvendo a análise fundamentalista, em especial mostrando as diferenças entre investimento de valor x crescimento, e na sequência a estratégia focada em valor + dividendos.

POST MIGRADO DO ANTIGO BLOG DA PENSERICO

Interpretando os Principais Indicadores Fundamentalista

Interpretando os Principais Indicadores Fundamentalista

Resolvi dividir em duas partes esta publicação: na primeira, tratarei dos principais indicadores da Análise Fundamentalista (AF), mostrando exemplos práticos de como interpretá-los e achar boas oportunidades de investimento; na segunda, irei expandir estes indicadores, mostrando ao investidor como identificar empresas em situações financeiras complicadas, onde o investimento possui caráter de maior volatilidade e risco, por conta do fator especulativo do ativo. Vale lembrar que a ideia aqui é mostrar ferramentas práticas e de fácil utilização, que sirvam para agregar valor aos métodos utilizados pelos investidores.

Principais indicadores:

P/L – Preço sobre Lucro – Como calcular? Cotação da ação dividido sobre o Lucro Líquido por ação. Para calcular este primeiro temos que descobrir o Lucro Líquido por ação (LPA) com uma conta simples. LPA = Lucro Líquido anual dividido pelo número de ações da empresa. Depois de calculado o LPA, só temos que dividir a cotação da ação pelo LPA para, então, chegarmos ao P/L.

Mas, o que representa o P/L? Representa o número de anos que o investidor levaria para recuperar um investimento. Ou seja, uma empresa que apresenta um P/L de 12, significa que em 12 anos você recuperaria todo o seu capital investido, caso o lucro anual da empresa se mantiver estável.

Como usar o P/L? Basicamente, quanto menor o P/L melhor, pois isto significa um menor tempo para ter o retorno deste investimento. Lembrando que quando deparar com um P/L negativo, significa que a empresa está apresentando prejuízos anuais. É sempre importante comparar o P/L das outras empresas do mesmo setor, para se ter uma idéia de qual seria a média setorial, e se a empresa escolhida está acima ou abaixo desta média.

P/VP – Preço sobre Valor Patrimonial – Como calcular? Cotação da ação dividido pelo Valor Patrimonial por ação. Para calcular este primeiro temos que descobrir o Valor Patrimonial por ação (VPA) com uma conta simples. VPA = Patrimônio Líquido dividido pelo número de ações da empresa. Depois de descoberto o VPA, só temos que dividir a cotação da ação pelo VPA para chegarmos ao P/VP.

Mas, o que representa o P/VP? Informa o quanto o mercado está pagando pelo valor do patrimônio da empresa. Em outras palavras, uma empresa que tenha um P/VP de 2, informa que o mercado está pagando 2x o valor do patrimônio desta empresa.

Como usar o P/VP? Basicamente, quanto menor o P/VP melhor, pois isto significa que a empresa está mais barata. Um P/VP menor que 1 diz que o mercado está pagando menos do que vale o valor do patrimônio da empresa. Aqui vale uma observação: este indicador isoladamente não significa nada, porém se o analisarmos junto com o próximo indicador, ele se torna de extrema utilidade.

ROE – Retorno sobre o Patrimônio Líquido – Como calcular? Lucro Líquido dividido pelo Patrimônio Líquido, colocado em porcentagem. Também é conhecido como RPL.

Mas, o que representa o ROE? Informa a rentabilidade que aquele Patrimônio Líquido da empresa está gerando. Um ROE de 20% significa que a empresa esta gerando um retorno sobre aquele patrimônio de 20% para o acionista. Como usar o ROE? Basicamente, quanto maior o ROE melhor, pois isto significa que a empresa está gerando um maior retorno. Como chamei a atenção no indicador anterior, temos que olhar este indicador em conjunto com o P/VP. Isto porque o P/VP nos diz se o mercado esta pagando caro ou barato pelo patrimônio da empresa, e o ROE, por sua vez, nos diz se este patrimônio esta gerando um bom retorno. Senão de que adiantaria investir em uma empresa que possui um P/VP barato, mas que apresenta um ROE baixo? Como diria Warren Buffett: eu prefiro pagar um preço razoável por uma empresa boa, do que um preço baixo por uma empresa razoável. Logo o ideal é maximizar este fórmula, procurando investir em empresas com baixo P/VP e alto ROE.

Vamos aos exemplos práticos:

CMIG4 (Cemig) – dados dos últimos 12 meses, temos os seguintes números:

  • P/L: 15,9
  • P/VP: 0,78
  • ROE: 4,9%

Olhando rapidamente outras empresas do setor, vemos que o P/L da empresa, embora esteja um pouco elevado, está dentro da média do setor elétrico. Some a isso que geralmente, empresas estatais, assim como pequenas empresas (small caps), possuem P/L menores, devido ao desconto que o mercado tem aplicado a estes, pelo maior “risco”. Comparando com outra empresa do mesmo setor, EQTL3, o P/L desta está em 14,5 só um pouco abaixo com relação a CMIG4. Pois bem! Já vimos que o P/L não está muito atrativo, mas dentro do setor está na média, continuemos agora com os outros dois indicadores.

O P/VP está abaixo de 1,00, isto significa que a empresa está barata. Porém, olhando o ROE percebemo a razão disto: empresa com um baixo ROE (4,9%) está dando um baixo retorno ao acionista, menor do que a poupança (8,3%). Comparando com outra empresa do setor novamente, a EQTL3, temos nesta o P/VP de 2,2, bem acima comparando com CMIG4, mas o ROE muito mais elevado, de 15,8%. Aqui, vale aquela frase do Buffett que postei. Vamos olhar agora outra empresa do mesmo setor, em específico uma small cap.

ALUP11 (Alupar) – dados dos últimos 12 meses, temos os seguintes números:

  • P/L: 5,9
  • P/VP: 0,84
  • ROE: 14,6%

 

Comparando com CMIG4, vemos que os indicadores de ALUP11 estão bem mais atrativos. Alupar mesmo tendo um P/VP maior do que Cemig, está com um ROE muito superior, e um P/L muito inferior. Em outras palavras, Alupar está um pouco mais cara, mas esta dando um retorno ao acionista muito superior, além de um menor prazo para retorno do investimento. Neste caso, podemos dizer que estamos pagando um preço razoável por uma empresa boa. Lembrando que estamos avaliando números que representam o histórico da empresa. É preciso também levar em conta perspectivas futuras (mais a frente na série falarei sobre este assunto).

Uma observação de extrema valia para os investidores. Existem muitas empresas que possuem os seus indicadores inflados, ou seja, eventos não operacionais que aumentaram em muito o lucro líquido da empresa, distorcendo os indicadores (por exemplo, uma siderúrgica que vendeu um terreno gerando um grande aumento no lucro líquido, porém esta venda foi um resultado não operacional, pois não é da natureza da empresa). Mas, há uma forma de identificar isto rapidamente. Compare o valor do EBIT com o valor do Lucro líquido. O EBIT representa basicamente o lucro operacional da empresa, antes de impostos e juros. Logo, se tivermos uma empresa com o Lucro Líquido muito superior ao EBIT, já podemos desconfiar que os indicadores estão distorcidos.

Um exemplo: SLED4 (Saraiva) . Olhando o balanço anual de 2015, temos um P/L de 0,9, um P/VP de 0,2 e um ROE de 22%. Seria a empresa mais atrativa da bolsa. Porém, vejam como os números estão inflados: EBIT = – 100 milhões e Lucro Líquido = 94 milhões. Ou seja, a empresa apresentou um prejuízo operacional de 100M, mas terminou com um lucro líquido de 94M (boa parte por conta da venda de uma parcela de seu negócio por 238M). Ainda não vou entrar em muitos detalhes sobre o assunto, mas o investidor checando sempre estes dois números, já vai terá uma boa ideia se os indicadores estão inflados ou não, e com isso fazer uma análise fiel dos números, evitando que distorções nos indicadores o enganem.

 

Chamo a atenção para a necessidade de sempre usar, pelo menos, estes três indicadores em conjunto, nunca isoladamente. Além disso, sempre os compare com indicadores de outras empresas do mesmo setor. São indicadores básicos, mas de grande utilidade, cuja evolução deve ser acompanhada a cada trimestre através de uma planilha. Na segunda parte deste estudo, apresentarei mais alguns indicadores que também podem ser usados como parâmetro de atratividade, mas vou mostrá-los para identificarmos empresas em dificuldades financeiras.

Até a próxima!

POST MIGRADO DO ANTIGO BLOG DA PENSERICO

Que tal um REIT de aeroporto?

Que tal um REIT de aeroporto?

Estamos prestes a presenciar uma nova classe de ativos nos REITs. Os REIT de aeroporto podem ser a bola da vez.

O que acontece quando se tem 8 anos de governos esquerda-socialista como o do Obama ? Basta olhar o que o governo do PT fez com o país em 13 anos de poder, temos um completo caos em toda a infraestrutura do Brasileira. No final deste artigo aqui, vem explicando porque o Obama é uma fraude e como ele contribuiu para destruir a estrutura americana.

baixo investimento infraestrutura

Já lá nos USA não estava caminhando para um rumo diferente. Acima podemos ver os gastos do governo com infraestrutura e como ele vem caindo ao longo do tempo. De 2011 para 2016 tivemos uma queda ainda mais acentuada. De acordo com Lauren Thomas da CNBC, leia aqui:

A infraestrutura na America está perto de colapsar

infraestrutura americana um caos

O Presidente Trump tem um grande desafio nesse segmento do seu governo, e no inicio do ano anunciou um plano de progresso na infraestrutura, o plano foi elaborado com os principais membros do setor privado, tais como SpaceX representada pelo Tony Stark do mundo real, Elon Musk e Steve Roth CEO da Vonrado Realty Trust um dos maiores REITs do mercado.

A administração de Trump tem mostrado grande preferencia pelo financiamento de investimentos do setor privado para pagar os custos dessa reforma de infraestrutura. A ideia é fornecer incentivos financeiros para as empresas privadas executarem projetos relacionado aos transportes.

Modelo muito conhecido por nós aqui, como PPP (parceria público-privada), me corrijam se estiver errado, mas creio que quem idealizou isso foi o Brasil. Trump tem argumentado que é mais barato e mais rápido quando investidores privados estão no comando.

construção ponte USA

A proposta de Trump fornecerá $137 bilhões em impostos federais como credito para empresas financiarem seus projetos de transporte, e que isso iria desbloquear cerca de $1 trilhão em investimentos em mais de 10 anos.

necessidades usa infraestrutura

Acima temos os principais pontos a serem atacados num projeto de reforma de infraestrutura, de acordo com a Deloitte o dinheiro despendido pelo governo desde 2009 com a administração do Obama não tem sido capaz de suprir a demanda em andamento de novas construções e a manutenção das existentes.

No relatório adicionam que um REIT seria um veiculo que poderia ser usado para levantar capital para investimento em infraestrutura nas operações de PPP. Em resumo, REITs tem certas vantagens fiscais, e recentemente tivemos a liberação pela IRS para utilização de REIT na parte de distribuição de eletricidade e gás, aumentando assim o interesse de investimentos nessas áreas.

Apesar disso acredita-se que deve ser difícil enquadrar o modelo de REIT nas PPPs relacionadas a estradas, pontos, parques de estacionamentos, aeroportos, portos e ferrovias, pois isso não se encaixa como “renda de imóveis”.

Apesar disso já temos vários REITs que são de infraestrutura, vamos falar sobre esses ativos mais a frente em outros posts. Montarei uma carteira de ativos com esse foco no futuro para que vocês possam estudar.

REIT de aeroporto

Observe acima que o setor está com bons resultados, é o segundo melhor no ano atrás apenas dos de Data Centers.

Nós como investidores, só podemos ficar na torcida para que o congresso americano, faça algumas alterações na lei e permita a inclusão de novos tipos de REIT no nosso portfólio, diversidade é sempre bom.

Quem sabe quando começar a falar mais dos REITs de infraestruturas não fale de algum novato que possua terminais de aeroporto e locá-los para empresas administradoras no longo prazo.

Mulheres mais influentes na bolsa de valores

Mulheres mais influentes na bolsa de valores

Ontem a Nasdaq comemorou o “Women’s Equality Day” aproveitando a bola levantada vamos falar sobre mulheres nos negócios, e hoje trago a Adena Friedman que já estava algum tempo com ela aqui na pauta.

Adena, para mim hoje é a mulher mais influente no mundo das finanças, saiba como ela saiu do zero e chegou a comandar uma das maiores bolsas de valores do mundo.

Particularmente não gosto muito dessas datas especificas, me lembra muito aqueles movimentos esquerdistas, porém existe ainda muito preconceito contra as mulheres e principalmente no mercado de finanças.

Fazer protesto como essas Feminazis fazem acho ridículo, acho que devemos combater isso com mulheres cada vez mais preparadas e ascendendo a postos de lideranças, mostrando que são tão capazes tanto quanto qualquer homem.

Vamos falar da nossa musa e esquecer essas Feminazis complexadas. Em Janeiro deste ano Adena Friedman foi a primeira mulher na história a assumir uma bolsa de valores.

Ela assume a Nasdaq num momento bem complicado e com uma grande desafio, recuperar o caminho perdido entre a bolsa digital e a NYSE que tomou alguns IPOs importantes da concorrente.

Além do fato que o mercado corporativo tem sido bem reticente em abrir capital, veja exemplo de gigantes que permanecem com o capital fechado como Uber, Spotify, Airbnb entre outros.

Segundo Adena, sua gestão precisará pensar fora da caixa:

“Se não olharmos para daqui dez anos e não percebermos onde é que a industria estará, seremos ultrapassados”

Assim a CEO tem apostado em melhorar a integração dos serviços, apresentou recentemente uma solução de vigilância que detecta comportamentos ilegais e um sistema de analise das informações.

Tem dado também alguns passos no desenvolvimento de aplicações compatíveis com os dispositivos mais recentes como a Alexa da Amazon ou os HoloLens da Microsoft.

A ultima aposta de longo prazo, foi na área de blockchain, a galera dos bitcoins vai ao delírio, o sistema por detrás da mais badalada moeda virtual do mundo, ajudará a criar um registro imutável das negociações na bolsa.

De acordo com a Friedman o futuro tem um nome. Chama-se Blockchain.

Sua história

Adena foi criada em Baltimore, amantes da série The Wire conhecem bem a região. Ela amava ir com o pai ao seu escritório da T.Rowe Price, galera que comprou a #4 sabe do que se trata, onde o pai trabalhou como diretor-gerente. Sempre que ela tinha folga na escola, ficava rondando em torno da sala de negociação, ajudando os assistentes do escritório, maravilhada com o mar de computadores na época de 1980 e divertindo-se com a possibilidade de interagir com os visitantes internacionais no escritório.

“Quando alguém precisava de ir a cidade, ao invés de ficar em um hotel, na verdade ficavam com agente”. Ela relembra. “Criamos um ambiente muito bom onde colegas eram amigos, e todos se sentiam como se fosse parte da família. Foi muito divertido”.

Como 9 anos de idade a mãe de Friedman se matriculou-se numa faculdade de direito e ela passou a ficar ainda mais tempo no escritório. “Eu sempre fui intrigada com o mercado financeiro” ela disse. E a medida que seu conhecimento sobre finanças e o mercado de ações aumentavam mais ela tinha interesse.

Chegando na faculdade conheceu seu futuro marido Michael Friedman que cursava direito em Vanderbilt. Adena se matriculou no curso de Politica Internacional, porém com o tempo percebeu que o meio politico não lhe agradava, não lhe sentia confortável com o fato de ter que fazer um trabalho rotineiro.

Resolveu então mudar para a escola de Negócios, desde o inicio Friedman se destacou na Vanderbilt. Foi em meio a explosão da Nasdaq em 1990 com a ascensão das empresas pontocom que a Friedman se juntou à companhia.

Friedman baseou-se nos seus estudos de MBA na Vanderbilt para escrever um plano de negócios para a companhia e descobrir como comercializar e vender um novo produto comercial que viria ser chamado de Portal.

Dado a qualidade de seu trabalho Friedman foi escolhida para liderar a divisão de dados em 2000. Depois Friedman foi ganhando novas responsabilidades, como ficou encarregada de adquirir outras empresas. Por isso, ela tinha que utilizar os conhecimentos de finanças que havia aprendido com Owen, que incluía modelagem de empresas para determinar uma faixa de preço justo, na qual desejava comprá-las. “Isso foi um desafio grande para mim”, diz Friedman. Mas também aumentou minha exposição ao lado financeiro e operacional da Nasdaq, abrindo portas como a de diretora financeira da empresa em 2009.

Dois anos depois a Carlyle Group comprou o passe de Friedman e a levou da Nasdaq para ser a diretora financeira do grupo. Em 2014 ela retornaria a Nasdaq, mas dessa vez para substituir o CEO Greifeld.

mulheres nos negócios

Agora nesse ano ela assumiu a empresa como CEO e se torna a primeira mulher a comandar uma bolsa de valores, listando mais de 3.500 empresas nas suas bolsas em todo mundo. Friedman quer construir sua história na Nasdaq tornando-a uma empresa de tecnologia inovadora, explorar formas de melhorar os mercados de capitais para todos os players envolvidos.

Mulheres nos negócios

Acima Adena no IPO da Trivago.

Eu adoro essas histórias de sucesso, de certa forma são inspiradoras para nós, Friedman é só mais um dos vários exemplo de mulheres que tem transformando o mercado financeiro e corporativo.

Adena é fã de carteirinha da série Star Wars e praticante assídua de taekwondo, portanto não tente desafia-la bancando uma de machão, possui uma família com dois filhos que vivem em Washigton onde ela trabalha 3 dias na semana de lá remotamente.

Aquela história de que mulher não dá para finanças, que homem vai faz melhor ao gerenciar empresas, ou que mulheres só conseguem ascensão se apoiadas a sua beleza, isso tudo é um completo bullshit e não passa de insegurança desses sacudos que vivem a repetir essas baboseiras, e Friedman é a prova de que quando alguém tem competência independente das adversidades ela vai chegar ao topo.

Poderia facilmente fazer aqui um Top-10 mulheres do mercado financeiro e ainda sobraria uma grande quantidade de mulheres que fazem a diferença, então se você é daquelas Feminazis o recado que deixo para você é: faça como a Friedman, estude, se aprimore, seja a melhor no que você faz e o mercado irá te reconhecer, porque o dinheiro não tem sexo, religião ou cor.

Para todas aquelas que me acompanham aqui no blog e que tem esse espirito da Adena Friedman de querer vencer por seus próprio méritos, e vem aqui buscando conhecimento e aprimoramento sobre o mercado financeiro, desejo a todas essas muito sucesso nesse dia do “Women’s Equality Day”. Confira as fotos abaixo do evento que rolou na Nasdaq.

 

Como achar boas empresas na bolsa de valores

Como achar boas empresas na bolsa de valoresO tema de como achar boas empresas na bolsa de valores, surgiu de um comentário do leitor nesse post onde falo sobre como faço o gerenciamento da minha carteira de dividendos. A ideia do vídeo não é apresentar como eu faço a avaliação de empresas, na verdade é um passo antes disso, como faço para colocar empresas no meu radar, sabemos que a bolsa americana tem milhares de empresas fantásticas, mas como e quais empresas deve-se separar para em seguida estudar mais sobre elas.

 

Porque não invisto no setor de Telecom

porque não invisto no setor de TelecomVocê investe ou tem empresas do setor de Telecom? Então assista esse vídeo e entenda os riscos e desafios que essas empresas irão enfrentar nos próximos anos. Entenda porque não invisto em empresas do setor e saiba quais estratégias gigantes do mercado americano como AT&T vem tomando para contornar a grande mudança que ocorrerá no setor.

Nesse vídeo falamos de empresas como AT&T (T) e Verizon (VZ)

News

Estamos com uma seção nova no blog, no menu superior ou aqui é possível encontrar a seção de noticias. A ideia é trazer vários posts diários, sempre textos pequenos e objetivos para lhe manter informado com o que está rolando de mais importante no mercado Americano.

Como a frequência de posts é alta resolvi separar a lista de e-mails e o feed, portanto assine-os de forma independente na barra lateral ou abaixo. Lembre-se que o conteúdo que sair lá será exclusivo para a seção de notícias.

[jetpack_subscription_form show_subscribers_total=0 title=”Receber novidades por e-mail” subscribe_text=”Gostou do blog? Então se inscreva no campo abaixo para receber as atualizações via e-mail e curta nossa pagina no Facebook.” subscribe_button=”Inscrever!”]

 

Tudo sobre o setor de semicondutores e processadores

Tudo sobre o setor de semicondutores e processadoresUm setor fantástico com margens satisfatórias e boas oportunidades de crescimento, porém com riscos e desafios. Descubra tudo sobre o setor de semicondutores e processadores, vou falar nesse vídeo como vejo o setor, elencar seus pontos positivos e os negativos.

Nesse vídeo falamos de empresas como Apple (APPL), Intel (INTC) e TSMS (TSM) além de muitas outras do setor.

News

Estamos com uma seção nova no blog, no menu superior ou aqui é possível encontrar a seção de noticias. A ideia é trazer vários posts diários, sempre textos pequenos e objetivos para lhe manter informado com o que está rolando de mais importante no mercado Americano.

Como a frequência de posts é alta resolvi separar a lista de e-mails e o feed, portanto assine-os de forma independente na barra lateral ou abaixo. Lembre-se que o conteúdo que sair lá será exclusivo para a seção de notícias.

[email-subscribers namefield=”NO” desc=”Cadastre-se na seção de noticias e mantenha-se informado” group=”Public”]